Menu

Senta que lá vem a história – Castlevania

Castlevania, foi um dos únicos games que esteve presente em quase todas as plataformas, do MSX ao Xbox 360 e PS3 e segue firme na carteira da Konami. Na primeira parte da história desta querida franquia irei falar dos jogos lançados no principio, nas eras 8 e 16 bits, era que concebeu os jogos mais difíceis da série, aonde pericia e habilidade as vezes não eram suficientes para vencer os vários desafios do título. Para todos que tiveram a oportunidade de se descabelar para vencer o drácula no final dessas pérolas…

Senta que lá vem a história….

Castlevania, foi desenvolvido no japão, focado no romance de Bram Stoker, Drácula, com a adição de outros elementos de  filmes de terror, como múmias, zumbis, etc. O game se tornou um mito entre os jogadores, pois tinha uma dificuldade padrão, que era beeeem difícil. Hoje em dia o pessoal te pede se tal jogo roda em seu PC, na época a pergunta era, E aí conseguiu zerar Castlevania? Bom chega de falácia e vamos lá.

O primeiro jogo nem se chamava castlevania ainda, porém nele, encontramos o primeiro aventureiro matador de vampiros do clã Belmont a se aventurar pelas salas frias e tenebrosas dos castelos do conde maledeto, Drácula. O jogo foi lançado em 1986 para o computadorzaço da época o MSX 2 e para o NES disk system, com o nome de Vampire Killer.

Durante o jogo, temos que explorar o castelo atrás de itens como escudos, chaves e botas de velocidade, além de abrir passagens secretas que nos levam aos comerciantes. Por ser o primeiro título da série o jogo deu inicio a várias ideias utilizadas posteriormente em outros jogos como Castlevania 2 e Symphony of the Dark.

Como todos já sabemos o sucesso do jogo foi tremendo, fazendo com que a Konami tivesse um estouro de vendas e desse sequencia a essa utopia Belmont.

Em 1987 o jogo foi lançado para NES e ficou conhecido aqui pra nós como Castlevania e ponto. Com algumas alterações a partir da versão do MSX o jogo conta a mesma história de Drácula e Simon Belmont, que empunha seu chicote, Vampire Killer e sai a caça do vampirão. Algumas coisas foram cortadas da versão do console, tornando os dois games um pouco diferente um do outro, porém como o console era mais popular e barato na época, a versão do NES ficou mais conhecida e vários a tem como ponto de partida dessa série.

O segundo degrau a ser vencido foi Castlevania II: Simon’s Quest lançado pela Konami para o console caseiro da big N em 1988, o jogo foi a sequência direta do primeiro titulo do NES, porém introduziu uma jogabilidade mais como conhecemos hoje em dia, voltada a exploração, porém focada no estilo adventure.

A história do game nos conta que após os eventos do primeiro Castlevania, Simon foi amaldiçoado por Drácula e resolve tocar o foda-se atrás do vilão para se livrar da maldição.

Haunted Castle, foi um remake do primeiro jogo lançado no mesmo ano pela konami para os Arcades da época.

O game boy, recebeu seu primeiro titulo em 1989, Castlevania: The adventure, contava a história de Christopher Belmont bisavô de Simon, que Viaja até a Transylvania afim de dar cabo do vilão.

O jogo em si, consiste de 4 fases longas e difíceis conforme a mídia na época noticiou de forma negativa, no jogo não existem armas secundárias, somente o chicote afamado que pode receber alguns upgrades durante o game, Christopher ganhou mais tarde uma série de quadrinhos que contava suas aventuras caçando e matando vampiros.

Castlevania III foi o terceiro titulo da série principal e trouxe novamente os elementos de plataforma do primeiro título, dessa vez o herói é Trevor Belmont um ancestral de Simon e o jogo situa-se 215 anos antes dos eventos dos primeiros jogos.

O jogo introduziu vários personagens e novidades na forma de se jogar, isso tudo você pode conferir no vídeo abaixo (Y).

Super Castlevania IV, trouxe Simon Belmont aos consoles de 16 Bits, em jogo muito bonito, apesar de ser um remake ele conta com fases totalmente novas, tudo foi redesenhado e algumas coisas foram introduzidas para deixar o jogo um pouco menos frustrante para os jogadores. Como já era de se esperar o jogo foi um super sucesso, aclamado por gamers e críticos.

Em 1991 o game boy recebeu a sequência Castlevania II: Belmont’s revenge, que da  continuidade a história de Christhopher em sua missão de dar fim ao Vampirão malevolente, que transforma o filho do herói em um demônio, que também terá de ser derrotado por Belmont.

Dessa vez a Konami não cometeu o mesmo erro do primeiro jogo para o portátil e introduziu as armas secundárias e o mesmo sistema de aproveito dos corações dos outros games da série, embora tenha trabalhado as fases da mesma forma dessa vez foram bem sucedidos, dando ao jogador a possibilidade de escolher por onde começar e o password para poder voltar de onde havia parado. As fases receberam elementos, como planta, ar e água e salas armadilhas.

Em 1993 o Pc Engine deu vida a Castlevania: Dracula X e a um novo herói Richter Belmont de apenas 19 anos, esse jogo foi o antecessor do grande sucesso do Playstation, Castlevania: Symphony of the night. O jogo trouxe muita interação entre NPCs e o jogador, que se vale das assistências providas após a libertação de vários personagens para derrotar mais uma vez o vilão e destruir seu castelo.

O meu queridíssimo Mega Drive, recebeu Castlevania: Bloodlines o único título lançado para o mesmo em 1994. O jogo trata de trazer a série para épocas mais “modernas” quando a sobrinha de Drácula, Elizabeth Bartley, que para reviver o tio dá inicio a primeira guerra mundial.

Esse game foi o primeiro a tirar a história para fora do castelo do Drácula, o personagem viaja para várias locações dentro da europa, como Versailles, Pisa e Atenas. Porém o suco vital é o mesmo. Monstros, monstros e mais monstros terão de ser vencidos para abrir caminho até o vilão mor.

Dessa vez temos o controle sobre John Morris e Eric Lecarde, o jogo tenta ligar a série ao romance de Bram Stoker, fazendo várias referencias ao livro, como Morris que seria filho do personagem de Stoker.

O jogo foi um hit instantâneo, fazendo sucesso no mundo todo.

O Snes, recebeu o relançamento Castlevania: Dracula X em 1995, com algumas alterações da versão do PC Engine o game encerrou as atividades do clã Belmont no Super Nintendo.

O ultimo título da era 8 e 16 bits foi o Castlevania Legends para Game Boy, que nos trouxe a primeira protagonista mulher da série , Sonia Belmont, sendo a responsável do clã a derrotar Drácula dessa vez.

O jogo nos leva a 1450, quando Sonia estava apaixonada por Alucard, sim o mesmo Alucard do Symphony of the night, que desaparece, forçando nossa heroína a invadir o castelo sozinha e dar fim no pai de seu amado.

Dessa vez Sonia, não conta com armas secundárias, mas sim com seus poderes mágicos, derivados de 5 Soul Weapons, Fogo, Gelo, Santo, Mágico e Vento.

O jogo conta o inicio da rixa entre Belmonts e Drácula.

O jogo foi classificado como um clássico apesar de sua música deixar a desejar perante os seus antecessores

Então galerê por hoje é isso, creio que na semana que vem eu dou continuidade a história dessa série que todo mundo conhece. E se não conhece vai ficar conhecendo.

Semana que vem dou continuidade nessa saga, por enquanto, curtam nossa page no Facebook, se inscrevam no nosso canal do Youtube e me sigam no Twitter que tá tudo certo…. Aooooowwww aquele abraço.

Efraim
Fifa, CoD, Xbox, Flamengo, mangás, filmes de terror, livros e toneladas de games antigos e nostalgia!

No comments

Deixe uma resposta

Parceiros

Steam Brasil LoboLimão Centro RPG Lab Indie
Mundo Gamer PodTerror

Anunciantes

Aglomerando - Agregador de conteúdo
Uêba - Os Melhores Links GeraLinks - Agregador de links Piadas Idiotas - São idiotas mas o faz rir Tedioso: Os melhores links LinkLog MeusLinks.com - Informação e conteúdo todos os dias para você! Agregador de Links - Madruga Links 4Blogs - Agregador de conteúdo Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!